Aragon espera que o hard fork Istambul da Ethereum rompa 680 contratos inteligentes

O hard fork Istambul da rede Ethereum deverá quebrar 680 contratos inteligentes na plataforma de gerenciamento descentralizada Aragon.

Jorge Izquierdo, CTO da Aragon One, disse que a próxima atualização resultará na quebra de cerca de 680 contratos inteligentes, informou a Coindesk em 30 de setembro.

Izquierdo explicou que o ímpeto por trás da atualização é garantir o funcionamento sem atrito das organizações autônomas descentralizadas (DAOs) construídas na plataforma Aragon e tratar dos contratos inteligentes afetados.

Izquierdo acrescentou que os DAOs não poderão mais receber Ether (ETH) e continuou: “O problema que vamos ter não foi considerado importante o suficiente para que esse fork não aconteça, o que, do nosso ponto de vista, a visão é lamentável, mas, é um equilíbrio difícil que entendemos. 

A ativação do hard fork Istambul em todo o sistema da Ethereum chegou hoje e causou uma divisão da rede de teste Ropsten. O gerente da comunidade da Ethereum Foundation, Hudson Jameson, twittou que ainda existem mineradores contando com a antiga rede de testes Ropsten, enquanto outros já estão explorando a nova.

Wei Tang, principal desenvolvedor da Parity, uma empresa de infraestrutura de blockchain que administra o núcleo da rede Ethereum, citou anteriormente preocupações relacionadas a problemas de gás, alertando que seria melhor resolvê-los antes de implementar um hard fork.

De acordo com Wei, é preferível corrigir esses problemas antes de lançar um hard fork da rede principal, pois será mais complicado mudar de rumo depois que o fork já ocorreu. Isso, por sua vez, argumentou, pode realmente atrasar ainda mais o lançamento da rede principal.

Em agosto, o cofundador da Ethereum, Vitalik Buterin, disse que o blockchain da Ethereum estava quase cheio, observando que a escalabilidade ainda era um grande problema. Quanto a como melhorar a situação, Buterin disse que as redes precisam evoluir para longe da ideia de que todo computador é obrigado a verificar cada transação para um modelo em que um computador, em média, verifica apenas uma pequena porção das transações na blockchain.