Movimento de Amazon e Microsoft para o Blockchain: empresas centralizadas em ecossistema descentralizado

O Bitcoin, e a ideia de dinheiro digital, tomou conta do setor bancário à medida que bancos e instituições financeiras começam a experimentar internamente com blockchains e criptomoedas para estar na vanguarda dessas tecnologias.

Isso, juntamente com o fato de que organizações governamentais e até órgãos de liderança global como o G20 estão procurando regular as criptomoedas, mais uma vez dão mais legitimidade e longevidade à indústria.

A mais recente onda de adoção está agora vindo de corporações que, tradicionalmente, passaram a ter sucesso graças a seu domínio centralizado sobre os diferentes aspectos do mercado. A Microsoft, no mundo da computação, é lendária em conduzir o mundo para ser digital; depois, há a Amazon, os pioneiros do comércio eletrônico.

Essas empresas estão, de certa forma, sendo forçadas a usar a tecnologia blockchain, já que se tornou evidente que este é o futuro e, apesar de ir contra seus valores centralizados, elas simplesmente não podem ficar para trás.

A entrada da Microsoft

A Microsoft sempre foi umas das maiores empresas a dar uma chance ao Bitcoin. Em dezembro de 2014, o conteúdo das lojas Windows e Xbox poderia ser comprado em Bitcoin, e isso aconteceu em um momento em que a adoção e o apelo do Bitcoin eram mínimos.

Isso, obviamente, era apenas uma indicação de métodos de pagamento alternativos e a Microsoft era flexível com os desejos e necessidades de seus clientes. No entanto, desde então, e desde que o blockchain cresceu, a Microsoft tem sido pressionada a puxar a fila da inovação.

Obviamente, a Microsoft identificou o poder do blockchain e seu grande potencial para aplicações disruptivas no mundo dos negócios corporativos. A empresa está agora desenvolvendo aplicativos blockchain - que não são tão chamativos como algumas das soluções apresentadas pelas startups, mas igualmente práticos.

A Microsoft também está procurando construir plataformas nas quais as empresas possam desenvolver seus aplicativos blockchain, como o Confidential Consortium (Coco) Framework, um protocolo baseado no Ethereum, que se enquadra no Microsoft Azure, o braço de computação em nuvem da empresa.

Eles também anunciaram que estão planejando integrar os IDs descentralizados (DIDs) baseados em blockchain em seu aplicativo Microsoft Authenticator.

O mais recente da gigante da computação é que o Azure lançou seu serviço blockchain de criação de aplicativos, o Azure Blockchain Workbench, em 7 de maio. O Workbench tem como objetivo permitir que empresas que procurem criar aplicativos blockchain personalizados acelerem o processo de desenvolvimento automatizando a configuração da infraestrutura.

Esforços próprios da Amazon

Tanto a Microsoft quanto a Amazon têm origens semelhantes quando se trata de seus fundadores - Bill Gates e Jeff Bezos - ambos homens com ideias revolucionárias. Portanto, não surpreende ver essas duas empresas se posicionando para estar na vanguarda de uma nova onda tecnológica.

Gates pode estar destilando seu veneno contra o Bitcoin, e Bezos pode estar sob o cerco de aceitar a moeda digital na Amazon, mas apesar do que os dois fundadores acham do espaço de criptomoeda, está ficando claro que o futuro está tomando as empresas.

A Amazon revolucionou o espaço do e-commerce e está procurando, pelo menos, estar perto do topo da hierarquia quando a tecnologia blockchain realmente se sustenta. Assim como no setor bancário, há uma corrida para obter blockchain entendido e utilizável antes que o resto da concorrência chegue ao mercado.

A Amazon já está em uma batalha com a IBM e a Oracle com sua própria oferta “blockchain-como-serviço”. A estrutura blockchain para o Ethereum e o Hyperledger Fabric, que está permitindo que os usuários criem e gerenciem seus próprios aplicativos descentralizados baseados em Blockchain, está sendo desenvolvida em diferentes formas por todos os três.

Essencialmente, os usuários seriam capazes de criar seus próprios aplicativos blockchain através da ferramenta de Modelos CloudFormation da Amazon Web Services (AWS) para evitar configurações manuais demoradas de sua rede blockchain.

Oracle e outras também entrando no espaço

A Oracle, segunda maior empresa de software do mundo, também divulgou recentemente alguns produtos blockchain e os lançará nos próximos dois meses. Mais uma vez, foi um serviço de nuvem similar construído sobre o projeto Hyperledger Fabric de código aberto, como a Microsoft, e igualmente semelhante ao serviço blockchain da IBM, anunciado há um ano.

As grandes empresas também estão se jogando no trem do blockchain de diferentes formatos, maneiras e aspectos. A Huawei está carregando seus telefones com uma carteira Bitcoin embutida; a Samsung revelou que usará blockchain para gerenciar sua cadeia global de suprimentos; o grupo bancário espanhol BBVA se tornou o primeiro grupo bancário global a emitir um empréstimo em um blockchain e os casos de uso continuam a crescer em todo o mundo.

Por que é o blockchain que dá as cartas?

Não faz muito tempo, as pessoas estavam chamando o Bitcoin de modismogolpe e algo que não duraria por muito tempo. Essas vozes foram silenciadas, já que até os bancos, um dos maiores detratores das criptomoedas, estão percebendo que precisam tomar a liderançadessa tecnologia emergente.

O entusiasmo está se espalhando e está criando uma "corrida armamentista" mesmo fora dos bancos e do setor financeiro. A tecnologia blockchain, embora intrinsecamente ligada às criptomoedas, também tem muitas aplicações para outros setores. Essas aplicações estão sendo exploradas e avaliadas.

Empresas como Microsoft, Amazon, Samsung, Huawei e outras, todas percebem que com todas essas possibilidades, seria tolo não mergulhar, e rápido.

O vice-presidente da AWS, Jeff Barr, explicou em um post:

“Algumas das pessoas com quem falo veem os blockchains como a base de um novo sistema monetário e uma forma de facilitar os pagamentos internacionais. Outros veem blockchains como um livro-razão distribuído e uma fonte de dados imutável que pode ser aplicada à logística, cadeia de suprimentos, registro de terras, financiamento coletivo e outros casos de uso. De qualquer maneira, fica claro que há muitas possibilidades intrigantes e estamos trabalhando para ajudar nossos clientes a usar essa tecnologia com mais eficiência”.

Neil Patel, assessor da Kind Ads, uma rede de anúncios descentralizada que presta consultoria à empresas como Amazon e Microsoft, reitera que essas grandes corporações quase não têm escolha a não ser abraçar a tecnologia blockchain enquanto ela é vista abertamente como o futuro da tecnologia. Patel disse à Cointelegraph:

"Microsoft e Amazon não têm escolha senão se concentrar no blockchain porque ele é o futuro. Se não, eles sabem que isso vai prejudicar seu crescimento no espaço de computação em nuvem. Basta olhar para o Facebook, eles veem tanto valor no blockchain que reorganizaram sua equipe executiva para colocar o ex-presidente do PayPal em projetos blockchain."

O exemplo de Patel acima menciona como David Marcus, ex-presidente do PayPal e executivo do Facebook que está usando o aplicativo Messenger da empresa, está montando uma equipe para explorar a tecnologia blockchain para a plataforma de rede social.

Ideias contraditórias

Bitcoin, blockchain e criptomoedas em geral continuam a dividir opiniões. No entanto, as vozes contrárias em campo estão ficando cada vez mais silenciosas, especialmente se forem apenas vozes únicas.

Jamie Dimon, o chefe do JP Morgan, chamou o Bitcoin de fraude e criticou muito as criptomoedas - e, no entanto, o JP Morgan está construindo seu próprio blockchain, o Quorum. O cabeça da Microsoft está em uma situação semelhante no que diz que apostaria no colapso do Bitcoin enquanto sua empresa tenta ser um líder do blockchain.

Então Facebook, Google, Oracle, Microsoft, IBM e Amazon estão avaliando ou oferecendo produtos relacionados ao blockchain. Eu não acho que a tecnologia blockchain vai resolver a fome no mundo ou curar o câncer, mas se você não acha que está aqui para ficar?

Muitos desses pontos de vista mais antigos sobre como as coisas foram feitas, o controle centralizado de um setor e o movimento para monopolizar um serviço ainda residem nos gostos de Gates e Dimon, mas no chão da empresa, onde as coisas acontecem, é uma história diferente.

A tecnologia blockchain está sendo apontada como o futuro, e não são apenas palavras vazias. A quantidade de dinheiro, tempo e esforço empregados em pesquisa e desenvolvimento baseados em blockchain por bancos e corporações provam que existe algo mais do que uma moda passageira.