Alibaba apresenta patente para sistema Blockchain que permite "Intervenção Administrativa"

O conglomerado chinês de comércio eletrônico Alibaba entrou com um pedido de patente junto ao Escritório de Marcas e Patentes dos EUA (USPTO) para um sistema baseado em blockchain que permite a um administrador terceirizado intervir em um contrato inteligente em caso de atividades ilegais. O USPTO publicou o pedido de patente em 4 de outubro.

Um contrato inteligente é um protocolo de computador projetado para verificar ou impor digitalmente a negociação ou o desempenho de um contrato. Contratos inteligentes são autoexecutáveis, com os termos do acordo entre as partes sendo escritos diretamente em linhas de código.

O documento de patente, inicialmente apresentado em março, descreve um método de transação com blockchain que permite que partes autorizadas congelem ou suspendam contas de usuários associadas a transações ilegais ou intervenham em uma rede blockchain.

Os autores do documento enfatizam que, embora a tecnologia blockchain tenha vários recursos vantajosos, como abertura, imutabilidade e descentralização, ela ainda não fornece condições aplicadas a casos específicos em um ambiente da vida real. A patente explica:

“Na vida real, no entanto, há um tipo de atividade de intervenção administrativa na categoria de transações especiais. Por exemplo, quando um usuário realiza atividades ilegais, uma ordem judicial pode ser executada para congelar a conta do usuário. No entanto, essa atividade de operação entra em conflito com contratos inteligentes em blockchains existentes e não pode ser executada.”

A patente procura desenvolver um sistema para supervisão administrativa efetiva de todas as contas em uma rede blockchain, embora o escopo da supervisão seja limitado, o que significa que não restringirá as transações normais na rede blockchain. "A conta de emissão registrada nas várias formas de realização pode ser uma conta de propriedade de uma agência do governo ou de uma instituição confiável", diz a patente. Ela afirma ainda:

“[...] ao receber uma instrução de operação enviada de uma conta designada, um nó em uma rede blockchain pode invocar um contrato inteligente correspondente ao determinar que a instrução de operação é emitida legalmente, para executar operações correspondentes em uma conta correspondente a informações da conta a ser operada, que atinge uma meta de supervisão de contas no blockchain e resolve o problema de processamento de transações especiais, como a intervenção administrativa em um blockchain".

No blockchain Ethereum, contratos atualizáveis podem ser emitidos, nos quais a lógica e os dados são separados em contratos diferentes. Um chama o outro usando um comando e um contrato proxy, dando aos desenvolvedores algum controle sobre o contrato depois que ele foi emitido.

No entanto, os contratos atualizáveis são muito mais complexos do que os contratos inteligentes usuais, o que pode torná-los mais suscetíveis a bugs. A nova tecnologia Alibaba aumentaria a capacidade dos administradores em toda a rede, além de simplificar a alteração de um contrato inteligente.