Depois de vendas "negligenciáveis" relacionadas à mineração, AMD lança 8 novas soluções de computação em blockchain

A AMD, fabricante de semicondutores sediada na Califórnia, tem uma parceria evidente com sete grandes empresas de tecnologia para produzir oito novas plataformas de mineração de criptomoeda, de acordo com o site oficial da AMD a partir de hoje, 5 de novembro.

De acordo com a lista de mineradoras recém-lançadas no site da AMD, sob o título “AMD e Blockchain Technology”, a empresa fez parceria com Sapphire, ASROCK, ASUS, MSI, Biostar, TUL e Rajintek para emitir oito plataformas diferentes ostentando “estabilidade final”, "Desempenho 24/7" e "Qualidade no nível corporativo". O preço do equipamento ainda não havia sido especificado até momento da publicação deste texto.

Em seu site, a AMD enfatiza que a parceria trará novas “soluções de computação blockchain” para o mercado, projetadas para atender às várias aspirações das “plataformas inovadoras de blockchain”. As criptomoedas são mencionadas apenas duas vezes na página, chamadas de “o caso de uso mais conhecido" da tecnologia blockchain e como um título da seção "Blockchain Beyond Cryptocurrency".

Evidentemente, como parte da promoção da empresa para a nova linha de hardware, em 31 de outubro a AMD lançou um vídeo sobre o blockchain, explicando os principais recursos da tecnologia, listando confiança, integridade e segurança como suas principais vantagens.

A decisão ocorre apenas uma semana depois que a AMD divulgou seu relatório financeiro do terceiro trimestre de 2018, onde a empresa afirmou que as vendas de GPU relacionadas ao blockchain no terceiro trimestre foram insignificantes. Além disso, o relatório acrescentou que o preço médio de venda das GPUs também foi reduzido devido a vendas mais baixas.

Como a Cointelegraph relatou anteriormente, como empresa, a AMD nem sempre expressou uma visão positiva do blockchain. Em abril, sua CEO, Lisa Su, disse que o blockchain era “uma tecnologia muito importante” com alto potencial em termos de transações. No entanto, de acordo com a CEO da AMD, no curto prazo, a tecnologia causou "um pouco de distração".