Depois do Brasil, Binance agora está de olho nos Bitcoins da Venezuela

Depois de iniciar uma expansão na América Latina a partir de ações no Brasil e na Argentina a Binance, uma das maiores exchanges de criptomoedas do mundo, está de olho no mercado de Bitcoin e criptoativos da Venezuela, conforme mostrou reportagem do  Cointelegraph em Espanhol, em 10 de agosto.

Segundo a reportagem, uma das primeiras ações da Binance será organizar um meetup na capital da Venezuela, Caracas. O encontro é gratuito, aberto ao público e acontecerá na terça-feira, 13 de agosto. A Venezuela vive a maior crise econômica de sua história com inflação de até 1.000% e as criptomoedas têm sido uma alternativa para os moradores 'salvarem' seu dinheiro.

O evento é ogranizado pelos embaixadores da Binance na América Latina, um grupo conhecido como Binance Latam e além de uma apresentação sobre o que são as criptomoedas também abordará como a Binance está “crescendo na América Latina”, além disso, será possível comprar Bitcoin, Binance Coin  e outras criptomoedas durante o encontro.

Como reportado pelo Cointelegraph, a Cryptobuyer, uma bolsa sediada no Panamá e com operações na Venezuela, na Costa Rica e no próprio Panamá, anunciou uma aliança com o ecossistema de intercâmbio da Binance. A parceria permitiu a inclusão da Binance Coin dentro da Cryptobuyer Pay, para que as empresas possam aceitar criptomoedas como forma de pagamento.

O sistema é aceito hoje em mais de 200 empresas dispersas entre Venezuela, Panamá e Costa Rica. Entre os estabelecimentos comerciais mais importantes que trabalham com a Cryptobuyer estão as maiores lojas de varejo da Venezuela, a Traki Stores. Além disso, a ferramenta de pagamento está presente em hotéis, operadoras de turismo e lojas de alimentos nos três países mencionados acima.