Uma história de duas ICOs: Como Maidsafe e Tezos danificaram seus próprios projetos com erros críticos

As ICOs estão experimentando um enorme boom de popularidade no momento, e muitos participantes podem pensar que o conceito é novo, quando na verdade não é. Muito antes dos tokens ERC-20 baseados em Ethereum começarem a serem oferecidos à venda, o próprio Ethereum foi lançado usando uma ICO. Muitos não percebem que a história das ICO vai ainda mais longe do que isso.

Mastercoin

Imagine que alguém lhe diga que uma nova criptomoeda está para ser criada para permitir o uso de contratos inteligentes e ela deixará que as pessoas criem suas próprias moedas digitais. Soa familiar? Não, não estamos falando sobre o Ethereum, mas algo chamado Mastercoin.

O Mastercoin foi lançado via ICO em 31 de julho de 2013. Os investidores poderiam enviar Bitcoins a um determinado endereço e seriam recompensados com um número proporcional de Mastercoins. O novo protocolo faria muito do que o Ethereum faz agora, mas na verdade usaria o Bitcoin Blockchain ao invés de criar o seu próprio.

Tal como o Ethereum, o Mastercoin criaria uma maneira fácil para indivíduos ou empresas criarem suas próprias criptomoedas e oferecê-las para venda através de uma ICO. Um dos primeiros projetos a aproveitar esse recurso foi a Maidsafe, uma plataforma de armazenamento de arquivos distribuídos. A crowdsale dos tokens da Maidsafe deveria durar 30 dias, mas toda a alocação de tokens foi vendida em apenas cinco horas.

Maidsafecoin

Essa enorme demanda parece incrivelmente promissora, certo? A Maidsafe nominalmente arrecadou US $ 7 milões da venda, que pode ser um peixe pequeno nesta era de ICOs de US $ 100 milhões, mas foi uma grande quantidade de dinheiro para um método de captação de fundos não testado em 2014. A Maidsafe determinou que aceitaria Bitcoins e Mastercoins como fonte de financiamento. Infelizmente, isso criou um problema sério.

A Maidsafe anunciou que um certo número de tokens seria concedido por Mastercoin e um certo número seria concedido por Bitcoin. No entanto, o que a Maidsafe não percebeu foi que, nas razões em que fixaram, as pessoas poderiam comprar muito mais tokens de Maidsafecoin se pagassem com o Mastercoin do que se pagassem com o Bitcoin.

Por isso, o preço do Mastercoin aumentou nos dias que antecederam a ICO da Maidsafe. Assim que a ICO acabou, uma fonte importante de demanda para o Mastercoin de repente desapareceu, e o preço do Mastercoin entrou em colapso. Assim, a Maidsafe arrecadou cerca de US $ 3 milhões em Bitcoins e US $ 4 mlhões em Mastercoins, mas o valor dos Mastercoins que receberam diminuiu rapidamente. A Maidsafe não conseguiu liquidar os US $ 4 milhões em Mastercoins rapidamente sem baixar o preço, levando-as a segurar uma moeda (Mastercoin) que continuou a diminuir em valor ao longo do tempo.

Uma vez que tudo foi dito e feito, a Maidsafe levantou apenas cerca de metade do dinheiro que tinha a intenção de arrecadar, e o mercado estava em chamas com especulações sobre ofertas de backroom e manipulação de mercado. Parte do problema era que a Maidsafe havia elaborado um acordo terrivelmente complicado com uma empresa VC baseada em Bitcoin chamada BitAngels. O arranjo era tão complexo que era quase incompreensível, envolvendo os Mastercoins trocando de mãos várias vezes entre as entidades.

A Maidsafe ainda está por aí e ainda trabalha em seu projeto, mas a falta crítica de financiamento fez com que fossem eclipsadas por vários concorrentes no espaço.

Da Maidsafe à Tezos

A Tezos é um projeto iniciado pelos cônjuges Arthur e Kathleen Breitman para combinar a funcionalidade de contratos inteligentes com uma estrutura formal de governança em cadeia. A ICO foi baseada na Suíça e, de acordo com a lei suíça, é supervisionada pela Fundação Tezos. Um total de US $ 232 milhões foram arrecadados durante a angariação desprotegida de fundos da Tezos em julho. A ICO aceitou Bitcoin e Ether por contribuições, e os recursos foram mantidos sob custódia da Fundação Tezos. A preços de hoje, a base controla quase meio bilhão de dólares.

De acordo com a Reuters, os Breitman controlam o código-fonte da Tezos, mas a Fundação controla todos os fundos da ICO. Agora, os Breitman estão tentando expulsar o chefe da Fundação Tezos, Johann Gevers. Os Breitman acusaram Gevers, em uma postagem no blog:

"No início de setembro, ficamos cientes que o presidente da Fundação Tezos, Johann Gevers, em uma tentativa de autonegociação, deturpou ao conselho o valor de um bônus que ele tentou conceder a si mesmo. Trabalhamos com a Fundação Tezos para resolver o assunto e defendemos sua remoção do conselho da fundação. Confiamos na capacidade do conselho de lidar com essa questão sensível com cuidado e diligência. Entretanto, o papel operacional de Johann na fundação foi suspenso, na pendência de uma investigação pelo auditor do conselho".

Gevers respondeu que os Breitman estão essencialmente tentando se esquivar da lei suíça e exercer o controle direto sobre a Fundação "como se fosse sua própria entidade privada". Gevers ressalta que a disputa entre os Breitman e ele próprio está causando atrasos significativos no projeto. Os Breitman reconhecem isso,dizendo:

"O impulso que tínhamos antes da arrecadação de fundos diminuiu apesar dos recursos disponíveis para apoiar o projeto. Algum desenvolvimento continuou e estamos trabalhando pessoalmente para criar relacionamentos fortes com empresários bem-sucedidos que procuram construir com a Tezos. Infelizmente, outros aspectos ficaram para trás, como:

  • Criação de recursos on-line para contribuidores e desenvolvedores para aprender mais sobre a Tezos.

  • Ampliação da equipe de desenvolvimento.

  • Articulação de nossa visão para o projeto de forma mais clara através de uma série de postagens explicativas no blog, como costumávamos produzir.

  • Participação com a comunidade de contribuintes e criadores da Tezos e ajudá-los em seus esforços".

Estrutura e remédios ICO

A ICO foi projetada de tal forma que a empresa dos Breitman, que possui o direito ao código Tezos, seria comprada pela Fundação Tezos. À luz da disputa atual, isso ainda não aconteceu. Se isso nunca acontecer, os investidores podem acabar possuindo um juro fracionário em uma base sem valor. Neste meio tempo, sem os fundos da fundação, os Breitman podem ver-se possuidores do código-fonte para algo cujo desenvolvimento talvez nunca seja concluído por falta de financiamento. Em outras palavras, todo mundo perde.

Pelo menos um escritório de advocacia está considerando apresentar uma ação coletiva contra os Breitman, ou a Fundação Tezos, ou ambos, para garantir uma devolução completa de todos os fundos para seus investidores. Tal ação, chamada de rescisão total, poderia ser solicitada se a SEC determinar que a ICO da Tezos era de fato uma venda de títulos não registrada.

A conexão Draper

O correspondente de Londres da Cointelegraph, Nick Ayton, publicou recentemente uma contabilidade rigorosa do desastre da Tezos e apontou para outra fonte de controvérsia. O multimilionário capitalista de risco Tim Draper investiu publicamente na Tezos em um acordo especial pré-ICO, e os Breitman incontestavelmente utilizaram seu apoio para promover a ICO. Afinal, se o bilionário Draper pensa que a Tezos é promissora, certamente o projeto poderia ser um bom negócio, certo?

No entanto, Ayton apontou que Draper realmente recebeu um acordo especial; em troca de seu apoio inicial e Draper aparentemente receberia a opção de retirar o dobro do seu investimento inicial, independentemente de como o projeto estava se saindo. Pouco tempo depois da publicação do artigo de Ayton, a Cointelegraph recebeu uma demanda de Draper de que a história fosse retratada.

Draper escreveu:

"Por favor, ponha os fatos direito. Meu fundo é um investidor de longo prazo e um suporte de tokens. Apoio empreendedores promissores com a perspectiva de transformar a sociedade pelo bem do cliente. Não havia nada secreto sobre nossa compra da Tezos. A maioria dos fundadores da ICO ganham tokens ao longo do tempo. Todos os tokens que esperamos receber que não adquirimos na pré-venda (ao lado de todos os outros investidores que participaram) serão adquiridos ao longo do tempo com os tokens dos fundadores. Não tenho intenção de vender esses tokens porque sou um verdadeiro crente na missão Tezos. Arthur e Cathleen [sic] são fundadores dedicados, honestos e brilhantes. Eles deixaram claro para mim e para os outros compradores que o token demandaria tempo para se desenvolver. Se eles são bem sucedidos, eles podem simplesmente transformar a sociedade, e todos seremos melhores como resultado, e então, talvez cinco ou dez anos de estrada, meus investidores e eu podemos ficar ricos. Espero uma retração total. E acho que você deveria enviar a Arthur e Cathleen [sic] algumas flores e um pedido de desculpas".

Como não conduzir uma ICO

Com base nas lições da Maidsafe e Tezos, existem algumas coisas óbvias que devem ser evitadas pelas futuras ICO:

  • Não aceite moedas ilíquidas. Aceitar fundos em moedas ilíquidas, e especialmente definir o preço do token em tais moedas, deve ser evitado a qualquer custo. Isso quebrou as pernas do desenvolvimento da Maidsafe.

  • Evite negócios complicados. O acordo da Maidsafe com a BitAngels e oo da Tezos com Tim Draper causou grande complexidade e controvérsia. Na melhor das hipóteses, tais promoções parecem ruins. Na pior das hipóteses, elas poderiam representar o corrompimento real.

  • Evite estruturas complicadas. Uma base que prometa comprar a propriedade intelectual de uma empresa após a conclusão de uma ICO é simplesmente uma estrutura muito complexa para realmente funcionar. Ao criar dois centros de energia -- o proprietário do IP e o detentor dos fundos da ICO -- muita complexidade (e espaço para disputa) foi injetada no período pós-ICO.

  • Gerenciamento de controvérsias. A estrutura da ICO da Tezos criou duas entidades essencialmente iguais: os Breitman que controlavam o código fonte atual e a Fundação que controlava todos os fundos que seriam necessários para o desenvolvimento de software adicional. Não houve protocolo para o gerenciamento de disputas, no entanto, a compra prometida pela Fundação da empresa que possui o código-fonte Tezos nunca aconteceu.

Um futuro incerto

Como tudo isso acabará? Ainda há muito a ser visto. No mínimo, o projeto Tezos foi atrasado significativamente, com o lançamento programado para o quarto trimestrte de 2017, que agora está sendo empurrado para o começo de 2018. Na pior das hipóteses, o projeto pode nunca ser concluído e os investidores podem acabar de mãos abanando. É provável que a batalha legal se torne mais complexa (e cara) e que os reguladores possam se envolver na disputa. Os investidores poderiam ter um retorno total de todos os seus fundos, ou poderiam perder tudo.

Há também uma terceira opção: uma Tezes atrasada, mas finalmente bem sucedida, pode acabar sendo lançada, possivelmente gerando lucro significativo para os participantes da ICO. Neste momento, não parece provável, mas coisas estranhas acontecem.


Siga-nos no Facebook