80 empresas, incluindo MasterCard e Coinbase, gastaram US$ 42 mi em lobby de cripto e fintech no 1º trimestre

Cerca de 40 entidades fizeram lobby em prol de causas Bitcoin (BTC) e blockchain nos Estados Unidos no primeiro trimestre de 2019, informou o site de notícias políticas Roll Call em 30 de abril.

Citando dados da Comissão Eleitoral Federal, a publicação afirmou que cerca de metade das 80 entidades de lobby incluíam itens relacionados à criptomoeda, com despesas totais de lobby trimestrais atingindo mais de US$ 42 milhões.

Entre os maiores gastadores que incluíam cripto estavam os gigantes da contabilidade Ernst & Young e Accenture, enquanto o maior de todos era a Câmara de Comércio dos EUA, que representava US$ 16,4 milhões para o lobby de tecnologia financeira (fintech) em geral. A empresa de sistemas de pagamento MasterCard também pagou um total de US$ 720.000 em atividades de lobby em questões que incluem aquelas relacionadas a moedas virtuais.

Também aparecem na relação mpresas do setor de cripto, como Coin Center e o serviço de carteira e exchange de criptomoedas Coinbase, esta última gastando US$ 50.000 em áreas que incluem o Bank Secrecy Act.

De um modo geral, as entidades procuram influenciar com leis novas ou já existentes que criam condições problemáticas para a nova tecnologia, com algumas delas focadas em projetos legislativos específicos.

O grupo de defesa da indústria da Blockchain Association, por exemplo, tem como alvo uma lei de Ohio que pretende isentar as criptomoedas das regulamentações de valores mobiliários da Comissão de Valores Mobiliários (SEC).

"Esse provavelmente tem sido nosso maior foco e continuará a ser assim nos próximos meses", disse a diretora de assuntos externos da Roll Call, Kristin Smith.

Estatísticas anteriores mencionaram um total de 33 entidades que pressionaram Washington sobre a blockchain no quarto trimestre do ano passado.

Como o Cointelegraph relatou, a regulação do espaço cripto permanece uma questão contenciosa nos EUA, com abordagens que variam amplamente entre os estados.

Andrew Yang, candidato à eleição presidencial de 2020, prometeu unificar a retalhado cenário atual como parte de seu manifesto eleitoral.