64% dos alemães sabem o que é Bitcoin, diz Associação de TI Bitkom

Uma pesquisa publicada em 15 de fevereiro pela Associação Federal Alemã de Tecnologia da Informação, Telecomunicações e Novos Mídias (Bitkom) descobriu que pouco mais de dois terços dos alemães estão sabendo sobre o Bitcoin (BTC).

A consciência sobre a criptomoeda mais popular dobrou desde 2016, quando 36 por cento dos cidadãos alemães estavam familiarizados com o Bitcoin e quadruplicou desde 2013, informa a Bitkom.

De acordo com a pesquisa deste ano, 4 por cento dos 1 009 entrevistados realmente possuem Bitcoin, 19 por cento disseram que têm uma ideia de como comprar a cripto e 72 por cento declararam que não tinham interesse na moeda digital.

Sobre o significado econômico das criptomoedas e do Blockchain, o CEO da Bitkom, Bernhard Rohleder, declarou:

"O Bitcoin e outras criptomoedas são um bom exemplo de como a era digital é capaz de mudar o mundo financeiro. Não é tanto sobre a moeda individual em si, mas sobre a tecnologia subjacente blockchain. Ela terá um impacto em toda a economia".

Conforme relatado pela pesquisa da Bitkom, os dois principais motivos citados pelos 72% de alemães que não têm interesse em Bitcoin são riscos de alta volatilidade de preços e falta de conhecimento do uso prático da criptomoeda número 1.

Na segunda-feira, 12 de fevereiro, as Autoridades Europeias de Supervisão alertaram os consumidores de que as criptomiedas são ativos "altamente arriscados" que mostram "sinais claros de uma bolha de preços".

A consciência sobre criptomoedas é alta na Alemanha em comparação com alguns outros países. De acordo com uma pesquisa realizada em 13 de janeiro, mais de 56% dos russos ouviram falar de Bitcoin. Em agosto de 2017, Charles Xue, um bilionário investidor sino-americano, sugeriu que a grande maioria das pessoas na China, 70-80 por cento, nunca sequer ouviu falar de Bitcoin.