Seis descobertas surpreendentes da corrida de touro do Bitcoin de 2019

O Bitcoin (BTC) derrubou as marcas de US$ 10.000, US $ 11.000 e US $ 12.000, surpreendendo a todos em 2019 - mas os avanços do aumento deste ano contribuem para uma leitura inacreditável.

Como o Cointelegraph informou, a ação do preço do Bitcoin deste ano tem pouco em comum com a de 2017 - última vez que um ocorreu um avanço parabólico. Em vez disso, o ciclo atual está dando aos investidores motivos sérios para comemorar.

1. O Bitcoin já quadruplicou seu "piso" de mercado de urso

O BTC/USD recuperou mais de três vezes o valor desde novembro de 2018, quando a turbulência do mercado do hard fork do Bitcoin Cash (BCH) chegou aos mercados.

À época, o par atingiu seu ponto mais baixo em um mercado em queda que durou 11 meses - cerca de US$ 3.130. Apenas sete meses depois, o Bitcoin está chegando a US$ 12.800.

Nos últimos três meses - desde que a fase "principal" da corrida de touros começou - testemunhou o BTC/USD ganhando impressionantes US$ 9.000.

2. US$ 11.000 por Bitcoin é "razoavelmente valorizado"

Movimentos de preços parabólicos tendem a desencadear preocupação e alegria. De acordo com um analista, no entanto, mesmo com o aumento de US$ 9 mil, o Bitcoin permanece com o preço adequado.

De acordo com Tracy Alloway, jornalista da Bloomberg e criadora de um índice de preços Bitcoin baseado em - acima de tudo - abacates, os atuais níveis de BTC/USD mostram uma correlação apropriada.

O Bitcoin compartilhou um comportamento surpreendentemente similar com o do abacate mexicano Hass durante um mercado de urso comum.

"O Bitcoin continua sendo justamente valorizado de acordo com o meu modelo de preços baseado em abacate, mesmo depois de passar dos 11 mil dólares", resumiu Alloway.

3. Bitcoin e abacates sobem enquanto o dólar trava nos 10.000 satoshis

Se o mesmo número de abacates aproximadamente lhe render um Bitcoin, o mesmo certamente não pode ser dito sobre o dólar americano.

Um gráfico que circula atualmente nas redes sociais captura o momento em que 1 USD deixou de corresponder a 10.000 satoshis, o menor incremento do Bitcoin.
Em janeiro deste ano, US$ 1 poderia ter chegado a quase 30.000 satoshis.

4. O "ágio do Kimchi" é de US$ 13.000

Como a corrida de touros continua, pergunta-se qual a origem disso tudo. Como o Cointelegraph relatou anteriormente, os mercados asiáticos parecem particularmente envolvidos ativamente no Bitcoin neste ano, revertendo uma tendência a partir de 2018.

Entre eles, o chamado "ágio do Kimchi" - um fenômeno no qual os comerciantes sul-coreanos pagam mais pelo Bitcoin em termos fiduciários - permanece em evidência nesta semana.

De acordo com dados de exchanges, o preço do Bitcoin nas principais plataformas sul-coreanas já ultrapassou os US$ 13.000.

5. A taxa de hash do Bitcoin está mais forte e mais segura do que nunca

Como mencionado anteriormente, os fortes fundamentos da rede Bitcoin forneceram o pano de fundo para ganhos de preço sustentados.

Entre estes, a taxa de hash total da rede continua quebrando recordes quase diariamente em junho.

Nas palavras de Hodlonaut, o usuário do Twitter que voltou à plataforma em meio a uma batalha legal com o infame autoproclamado criador de Bitcoin, Craig Wright, o Bitcoin “venceu” depois de reverter sua desaceleração da taxa de hash.

6. O Bitcoin continuará a surpreender o mercado?

Dada a velocidade de seus ganhos, o futuro do BTC/USD permanece incerto. De acordo com um popular analista Filb Filb, a tendência histórica deve, em última análise, acender uma correção de preço para cerca de US$ 9.500.

Primeiro, porém, os mercados poderiam facilmente chegar a US$ 16.000 ou até mais.

Ele disse:

"Isso significaria que, embora o Bitcoin esteja na etapa final desta corrida, ainda pode chegar a 16k antes de uma correção para algo em torno de US$ 9,5k."

"Isso atenderia aos critérios de surpreender o mercado, que é o que o Bitcoin faz de melhor", acrescenta.